A Revista

História (São Paulo) tem o orgulho de ser um dos mais antigos periódicos acadêmicos publicados pela UNESP e, também, um dos mais antigos da área de história em circulação no Brasil. A aparição da revista deu-se em 1982, a partir da reunião de dois periódicos da área: Anais de História, editado pela Faculdade de Filosofia, Ciências e Letras de Assis, e Estudos Históricos, publicado pela Faculdade de Filosofia, Ciências e Letras de Marília. O primeiro circulou entre 1969 e 1977, atingindo 9 números; o segundo, criado em 1963, alcançou 16 números, deixando de ser editado em 1977.

A partir de 1990, a revista passou a ser editada pelos dois programas de pós-graduação em História da UNESP, situados nas cidades de Franca e Assis. Em 2006, depois de mais de uma década de experiência, os programas, para otimizar os trabalhos da revista e alcançar um maior nível de qualidade, optaram por extinguir duas outras publicações que então eram mantidas separadamente, a saber: o periódico Pós-História, pertencente ao Programa de Pós-Graduação em História de Assis, e o Estudos de História, editado pelo Programa de Pós-Graduação em História de Franca. Desde 2007, a Revista História (São Paulo) tornou-se, pois, o periódico oficial dos Programas de Pós-Graduação em História da UNESP. Também desde 2007, a revista, que há tempos estava incluída em diversos indexadores internacionais, passou a circular exclusivamente por meio digital, o que gerou uma expressiva ampliação e diversificação do seu público.

A revista publica dois dossiês anuais e recebe textos para suas demais seções em fluxo contínuo. O título a ser usado em bibliografias, notas de rodapé, referências e legendas bibliográficas é História (São Paulo).

Escopo e política

História (São Paulo) contempla um amplo leque de enfoques, temas, recortes espaciais e balizas temporais do campo da História. Com o intuito de garantir a diversidade de abordagens, a revista apresenta, a cada semestre, um dossiê temático e, em fluxo contínuo, artigos de tema livre, entrevistas e resenhas. O seu público leitor é formado majoritariamente por universitários provenientes da área de História e das Humanidades em geral.

Os originais recebidos deverão, num primeiro momento, atender aos critérios contidos no item abaixo, Forma e Preparação de Manuscritos. Uma vez atendidos tais critérios, os originais são avaliados por pareceristas ad hoc e analisados pelo Conselho Consultivo Nacional e Internacional, que comunica suas avaliações à Comissão Editorial.

O periódico não cobra nenhum tipo de taxa para avaliar, editar e publicar os textos a ele submetidos pelos colaboradores.

Forma e preparação de manuscritos

A revista publica trabalhos originais, de autores com titulação mínima de doutor, na forma de artigos, documentos precedidos de introdução crítica, resenhas, traduções e entrevistas – excepcionalmente, na sua seção de resenhas, a revista aceita avaliar contribuições de autores com doutorado em andamento. Os trabalhos podem ser em português, inglês, espanhol, francês e italiano; os escritos em língua estrangeira devem trazer título, resumo e palavras-chaves em português e em inglês – respeitando as mesmas determinações dos artigos em português.

ARTIGOS
O artigos devem ter de 15 a 30 laudas, digitadas com margens de 2,0 cm, fonte Times New Roman 12, espaçamento 1,5 (no geral). As citações diretas curtas (até 3 linhas) devem estar no corpo do texto, somente entre aspas (sem itálico). As citações diretas longas (mais de 3 linhas) devem estar recuadas 4,0 cm, fonte 11, espaçamento simples. Para citações diretas e indiretas utilizamos o sistema autor-data. Exemplo: (SILVA, 2004, p.12). As notas, colocadas após as Referências Bibliográficas, devem ser apenas explicativas, reduzidas apenas às informações ESSENCIAIS para a compreensão do texto. Nas Referências Bibliográficas devem constar APENAS os livros citados no artigo, segundo os exemplos abaixo:

Livros e monografias. LAKATOS, E. M.; MARCONI, M. A. Metodologia do trabalho científico. 2 ed. São Paulo: Atlas, 1986.

Capítulos de livros. JOHNSON, W. Palavras e não palavras. In: STEINBERG, C. Meios de comunicação de massa. São Paulo: Cultrix, 1972, pp. 47-66.

Dissertações e Teses. SILVA, João da. A Independência do Brasil. 2009. Dissertação (Mestrado em História) – Faculdade de História, Direito e Serviço Social, Universidade Estadual Paulista “Júlio de Mesquita Filho”, Franca, 2009.

Artigos de periódicos. ARAUJO, V. G. de. A crítica musical paulista no século XIX: Ultrico Zwingli. Arte-unesp, São Paulo, n.4, v.7, pp.59-63, 1991.

Trabalhos de congresso ou similar (publicado) – MARIN, A. J. Educação continuada: sair do formalismo? In: CONGRESSO ESTADUAL PAULISTA SOBRE FORMAÇÃO DE EDUCADORES, 1, 1990. Anais … São Paulo: UNESP, 1990, pp. 114-8.

OUTRAS REFERÊNCIAS
Anexos e/ou apêndices – serão incluídos somente quando imprescindíveis à compreensão do texto.
Tabelas – devem ser numeradas consecutivamente com algarismo arábicos e encabeçadas pelo título.
Figuras – colocar legenda, numerar consecutivamente em algarismos arábicos e iniciados pelo termo FIGURA.

Os artigos devem obedecer a seguinte ordem: Título (em português e inglês); autor(es) com nota de rodapé biográfica (titulação – vinculo institucional – endereço completo da instituição – fomento – e-mail); Resumo (em português e em inglês); Texto; Referências Bibliográficas; e Notas (quando houver).
Exemplos da nota de rodapé biográfica:

_______________
* Professor Doutor – Departamento de História e do Programa de Pós-graduação em História – Faculdade de História, Direito e Serviço Social – UNESP – Univ. Estadual Paulista, Campus de Franca – Av. Eufrásia Monteiro Petráglia, 900, CEP: 14409-160, Franca, São Paulo, Brasil. A pesquisa que resultou neste artigo contou com financiamento da CAPES. E-mail: e-mail@e-mail.com.br
DOCUMENTOS
A Introdução crítica que precede o documento não deve ultrapassar 07 laudas digitadas nas normas dos artigos, excetuando resumo e palavras chaves. Não há limites para a extensão do documento a ser publicado, mas a proposta deve vir acompanhada da autorização relativa aos direitos de posse (quando for o caso).

RESENHA
As Resenhas, que podem ter entre 02 e 07 laudas, devem abordar publicações nacionais e estrangeiras, editas nos últimos 24 meses. Não são necessários resumo/abstract e palavras-chaves/keywords. Excetuando o exposto, as Resenhas seguem as normas dos Artigos.

TRADUÇÕES
As traduções serão avaliadas segundo a importância do texto traduzido e devem ter, no máximo, 50 laudas; não precisam de resumo e palavras chaves. No mais, seguem as normas dos artigos. Devem também vir acompanhadas de autorização do autor e do original do texto.

ENTREVISTAS
As entrevistas obedecem à forma pergunta-resposta, não necessitam de resumo e palavras-chaves e não devem ultrapassar 10 laudas.

Os dados e conceitos emitidos nos trabalhos, bem como a exatidão das referências bibliográficas, são de inteira responsabilidade dos autores. São também de responsabilidade dos autores a correção ortográfica, o uso da língua e a tradução para o inglês do resumo, do título e das palavras-chaves. Não remuneramos as contribuições, cujos direitos autorais ficam, necessariamente, cedidos à revistaHistória (São Paulo).

Envio de manuscritos

Os trabalhos devem ser submetidos ao periódico, exclusivamente, por meio do sistema de submissão on-line: http://submission.scielo.br/index.php/his/login

Editores

Valéria dos Santos Guimarães - UNESP – Campus de Franca, SP – Brasil

Paulo César Gonçalves - UNESP – Campus de Assis, SP – Brasil

Comissão editorial

André Figueiredo Rodrigues - UNESP - Campus de Assis, SP – Brasil

José Carlos Barreiro - UNESP – Campus de Assis, SP – Brasil

Margarida Maria de Carvalho - UNESP – Campus de Franca, SP – Brasil

Paulo César Gonçalves - UNESP - Campus de Assis, SP - Brasil

Teresa Maria Malatian - UNESP – Campus de Franca, SP – Brasil

Valéria dos Santos Guimarães - UNESP – Campus de Franca, SP – Brasil

Conselho consultivo nacional

Adalberto Paranhos - UFU – MG – Brasil

Ana Paula Tavares Magalhães - USP - SP - Brasil

Anderson Zalewski Vargas - UFRGS – RS - Brasil

Andréa Doré - UFPR - PR - Brasil

Antonio Luigi Negro - UFBA - BA - Brasil

Cecilia Helena de Salles Oliveira - USP - SP - Brasil

Dulce Oliveira Amarante dos Santos - UFG - GO - Brasil

Durval Muniz de Albuquerque Junior - UFRN – SP – Brasil

Gabriela Pellegrino Soares - USP - SP - Brasil

Guilherme Amaral Luz - UFU - MG - Brasil

José Otávio Aguiar - UFCG - PB - Brasil

Kátia Gerab Baggio - UFMG - MG - Brasil

Laura Antunes Maciel - UFF - RJ - Brasil

Lucia Maria Paschoal Guimarães - UERJ/IHGB - RJ - Brasil

Marcos Antonio da Silva - USP - SP - Brasil

Marcos Napolitano - USP - SP - Brasil

Mary Anne Junqueira - USP - SP - Brasil

Modesto Florenzano - USP - SP - Brasil

Nelson Schapochnik - USP - SP - Brasil

Norberto Luiz Guarinello - USP - SP - Brasil

Pedro Paulo Abreu Funari - UNICAMP - SP - Brasil

Silvana Rubino - UNICAMP - SP - Brasil

Conselho consultivo internacional

Álvaro Vaázquez Mantecon - Universidad Autonoma Metropolitana - México

Augusta Molinari - Università degli Studi di Genova - Itália

Carlos Augusto Machado - University of St. Andrews – Escócia

Daniel Campi - Universidad Nacional de Tucuman - Argentina

Diana Cooper-Richet - Université de Versailles Saint Quentin-en-Yvelinnes – França

Dominique Kalifa - Université Paris 1 – Panthéon Sorbonne – França

Erick Detlef Langer - Georgetown University - EUA

Fabricio Prado - College of William and Mary - EUA

Federico Navarrete Limares - IIH/UNAM - México

Germán Adolfo de la Reza Guardia - Universidad Autónoma Metropolitana - México

Jose Remesal Rodríguez - Universidad de Barcelona - Espanha

Kenneth P. Serbin - University of San Diego - EUA

Laurent Vidal - L' Université de la Rochelle - França

Lise Fernanda Sedrez - California State University - EUA

Marshall C. Eakin - Vanderbilt University - EUA

Produção editorial

Luiz Gonzaga Morando Queiroz - Revisão Gramatical

Zaum Language Services - Versão em inglês e espanhol

Eduardo Sodré Domingues - Secretário

SAHis - Serviços avançados em História - Diagramação